quinta-feira, 29 de maio de 2014

Tigelas



Não sou de metades
meias tigelas
meias verdades
de ter que dar
a meia volta volver
o que faço assino
de meu incerto destino
procuro não saber
no presente me testifico
e vivo este eterno e íntimo
caso com meu ser
assim assumo
sem paradeiro ou rumo
apenas sou.

- Carine Morais

3 comentários:

  1. Ri-me da menininha. Ri-me de que nos induzas, pela imagem e pelo texto, a ver tais pensamentos poéticos (muito poéticos e belos!) nela. Pensei comigo: toda geniosa mocinha terá sido geniosa menininha. E apeguei-me imediatamente a ela com seu suquinho e seu canudinho. Geniosinha por beber o suco todo – ou nada! Alguns de nós não são de metades. Fui recriminado, outro dia, por isto. Que fazer?! É um caso íntimo com nosso ser, que assumimos e em que apenas somos. Como é belo teu poema! Como é real! Inventa-me uma palavra com que o defina. Esgotei todas as que sabia. Beijosssssss menininha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto procurava imagens para o poema, não sei de que maneira pesquisei, mas parti em busca de uma que me agradasse, ao me deparar com esta menininha, pensei comigo: não poderia ser outra! rs
      Fico feliz que tenha gostado da composição, ter um caso de amor com nós mesmos é como beber um suquinho despretencioso, apreciando o momento de cada coisa, é refrigério estar em sintonia com nosso coração.

      Obrigada, amigo!! e um brinde a vida!

      Excluir