segunda-feira, 28 de julho de 2014

Prefiro


Prefiro cachorros
prefiro lua cheia
prefiro barbas mal feitas, quando parecem que estão feitas
prefiro andar de ônibus, do que de táxi
no ônibus posso refletir a vida e descer sem dizer para onde vou
prefiro comedias românticas a dramas de quem só reclama
prefiro batatas assadas, mas não as minhas e nem as do vizinho
prefiro sorvete de chocolate
prefiro falar sozinha a ter que ouvir sozinha pessoas que só falam e nada escutam
prefiro licença poética que o politicamente correto
prefiro dançar a dois, pela chance de acertarmos juntos
prefiro orações silenciosas a pedidos enfáticos e decorados
prefiro o direito de falar o que penso, ao direito de estar sempre certa
prefiro unhas vermelhas
prefiro conversar com arvores que balançam dizendo sim e não àqueles
que concordam com tudo
prefiro encorajar as pessoas naquilo que elas não sabem que acreditam
prefiro meias coloridas
prefiro livros a jornais, os livros são mais criativos quando o assunto é inventar histórias
prefiro acreditar que sempre tenho duas saídas
prefiro par ou ímpar a jogos do bicho
prefiro ouvir os mais velhos
prefiro aprender com as crianças
prefiro não falar muito sobre mim, mesmo preferindo dizer o que prefiro
prefiro centenas de idiotas que não sabem o que dizem, a milhares deles
matando pessoas como se soubessem o que fazem
prefiro discordar de religiões a abrir mão do que o meu coração diz
prefiro não ter religião
prefiro ser um templo
Eu preferiria que o mundo fosse mais “humano” e menos "humanos"
preferiria escrever estas coisas numa praia serena, com um céu sem lua, mas preferindo estar em Paris olhando as estrelas.
eu prefiro tantas coisas que não caberiam num só lista, não caberiam no meu comportamento mutável, na minha contradição causada por uma memoria esquecível, falível com o passar do tempo.
De todo este corpo que me foi cedido, prefiro os olhos, ouvidos, mãos e o coração, assim posso sentir o que digo, ouvir minha intuição e escrever o que prefiro com minhas mãos imperfeitas, jovens ainda, mas que envelhecerão um dia, até que se tenha dito tudo, ou quase tudo, de preferencia o que sinto.

- Carine Morais

Imagem: Robert Doisneau

6 comentários:

  1. É muito belo. Disseste perfeitamente: ‘prefiro não falar muito sobre mim, mesmo preferindo dizer o que prefiro’. O que preferimos, mais do que ‘muito’, diz ‘tudo’ sobre nós. Há tantos conceitos particulares teus tão reveladores! E há tantos conceitos que, para além de particulares teus, são conceitos, sonhos, desejos, esperanças, preferências do mundo, das pessoas que querem algo melhor. Na verdade, muitas pessoas já chegaram ao ponto de dizer que preferiam poder preferir – pois já não podem! Acima de tudo, sentires o que te induz o olhar, o ouvir, as mãos e o coração, é preferir o que tu realmente és, e nisto, nesta autenticidade do ser, é que repousa nossa maior vitória ou nosso maior conforto na derrota. É belo, belo, muito belo. Nossas mãos ‘jovens ainda’ escrevem nesta sequência: as tuas, para cantar a vida, as minhas, para falar do encantamento do canto. Beijossssssssss amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu encantamento é escrever e receber tanto carinho, prefiro teus comentários, a pensar que não estás a me ler. rs
      Em tudo que tem me dito, desde outros poemas e textos escritos vejo muito de ti revelado aqui também, o apreço de impulsionar aqueles que escrevem... Então é isto, suas palavras são molas propulsoras, sempre nós levando adiante do lugar que pensamos alcançar.

      Obrigada querido amigo!!
      beijosss

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Teu texto define que tu tens traço de uma verdadeira poetisa! Como te disse, também me vi em muita coisa que escreveste, e eu já havia dito a mim mesma que eu iria encontrar coisas no teu poema que esqueci de colocar no meu, então, pensei: "como pude esquecer disso? e daquilo?" Mas realmente teu texto é de encher os olhos. Tens tudo para continuar brilhando e brilhar ainda mais. Parabéns! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tão bonito ver tudo isso vindo de ti! Você já é poeta de natureza, com toda certeza!!
      Em muitas coisas somos parecidas, daí vem a identificação, vem aquele ponto em que pensamos: da-lhe garota! é justo isto que também prefiro rs.. e assim vamos trocando figurinhas.
      Em ti nasce todo brilho, permaneça firme nos escritos e prefira sempre, a cada amanhecer, escrever para colorir a vida.

      beijoss, Mirthy!

      Excluir